24 dezembro, 2018

Boas Festas - 2018




Desejo a todos vocês, e aos vossos familiares, umas boas festas, caso celebrem esta quadra. Senão, um bom início de ano!

P.S.: Caso não reconheçam as personagens na imagem, trata-se da Lina, o Zanzan, a Momutte e a Garnath, do meu projecto “Alma”

22 julho, 2018

One Punch Man

"One Punch Man" é um manga  da autoria de One, com desenhos de Yusuke Murata, que está a ser publicado pela Shounen Jump. Vai já com cerca de 100 capítulos, divididos por 16 volumes.


Comecei a ler o manga depois de ver a primeira temporada do anime One Punch Man (a segunda temporada vai sair este ano).
Já há muito que não lia um manga que me entusiasmava tanto. One Punch Man é uma comédia com uma crítica social que não passa despercebida. Segue as (des)venturas de Saitama, um homem com um poder extraordinário (ele derrota qualquer um com apenas um soco), mas esta personagem nunca fica com os louros das suas próprias vitórias porque não é isso que lhe interessa.
Há neste manga uma clara crítica à forma como os humanos estão a abusar dos recursos do planeta, sob a forma de quase todos os vilões que surgem e que são consequência do aquecimento global ou da desmesurada exploração humana. Mas também os heróis, esses seres pagos para salvarem o mundo têm uma profundidade incrível. Muitos são gabarolas, mafiosos, mentirosos, egocêntricos, mas é incrível como os ficamos a conhecer tão bem que torcemos por eles independentemente de tudo isso.
E se a maioria dos vilões peca por não ter esta profundidade de carácter, chegamos depois a um Garou , um dos vilões (ou será que anti-herói é mais apropriado) mais emblemáticos da história dos mangas (na minha humilde opinião).
E a arte! De cortar a respiração! As cenas de acção, as páginas duplas … Wow!


A sério, se ainda não lêem o manga, experimentem. Vale muito a pena! Na minha opinião é melhor que o anime (que já é bom).

05 fevereiro, 2017

20 Anos

De acordo com a AnimeNews Network, este ano de 2017 vários são os animes que adoro que vão fazer 20 anos desde que aparecerem na televisão pela primeira vez.

Os mais relevantes, para mim, são sem dúvida:
- "Mononoke Hime (Princesa Monononke)", uma obra prima de Hayo Miyazaki e os Estúdios Ghibli;
- "Perfect Blue", um filme animado, de suspense, que é soberbo;

Outros que merecem destaque: Cutey Honey;  El Hazard; Neon Genesis Evangelion: Death & Rebirth; Flame of Recca; e por fim o Pokémon.




Em 2016 também dois dos meus animes favoritos fizeram 20 anos:
- "Tenkuu no Escaflowne (Vision of Escaflowne), um dos meus animes favoritos de todos os tempos, cheio de acção, romance, aventura e personagens inesquecíveis;
- "Rurouni Kenshin (Samurai X)", um anime inesquecível cujo manga (de Nobuhiro Waysuki) está agora a ser publicado em Portugal pelas mãos da Devir (aconselho vivamente a comprarem);



Aconselho-vos a conhecê-los a todos, se ainda não os viram. Estão já uns jovens mas o tempo não lhes tirou mérito.

24 dezembro, 2016

30 julho, 2015

Hana Nomi zo Shiru - Only The Flower Knows

"Hana Nomi zo Shiru (Only The Flower Knows)" é um manga de Rihito Takarai com apenas 13 capítulos distribuídos por 3 volumes.

Este manga é shounen-ai, com algumas cenas de yaoi nos últimos dois capítulos. Isto significa que há aqui romance homossexual com cenas mais ou menos explícitas no final (que podem perfeitamente saltar à frente se isso vos incomodar). E, se bem se lembram, é do mesmo autor do manga Seven Days que eu tanto gostei (e aconselho a quem goste de romances).
Dito isto: será que Hana Nomi zo Shiru foi tão bom como Seven Days? Bem ... não, mas ainda assim é um manga super-fofo, com um romance muito querido e uma bela arte a acompanhar. Não é tão bom mas ainda assim vale a pena. :)

Hana Nomi zo Shiru conta a história de Youichi, um estudante universitário do qual toda a gente gosta, com uma namorada fofinha e uma vida normal, até que ele conhece, por acidente, Shouta, também ele um estudante mas noutra área. Shouta é muito calado e sério, mas ao mesmo tempo parece vulnerável e parece ter um passado que o persegue.

O que eu mais gostei no manga foi o relacionamento gradual dos dois; e o que eu menos gostei foi a forma como o Youichi entrou logo a matar nesse relacionamento, dizendo que sentia algo pelo Shouta. Contraditório? Podem crer! É que para o Yoichi o que ele sentia era natural e não o questionava porque não o via como romântico, mas a forma como o expressava era mais que mal interpretada.
Outra coisa que não gostei foi a forma como o Shouta perdoou tão facilmente os muitos abusos do Satoshi. Credo! Que relação mais abusiva!

Enfim, Hana Nomi zo Shiru é um manga que vale a pena ser lido por quem goste de romances shounen-ai com sentimento e, basicamente, fofinhos. Gostei muito do par Yoichi/Shouta.

Sinopse (inglês, via myanimelist):
Youichi's life at university is going just fine. He isn't having any trouble with his classes, he has plenty of friends, and even a cute girlfriend named Minami. Then the day comes where he meets Misaki. Misaki is a reserved, stand-off-ish fellow but for some reason, Youichi can't seem to get him out of his mind. In fact, he can't seem to stay away. When he lands a job working in the lab with Misaki, it seems more than just the flowers are about to bloom. But will they recognise their emotions for what they are, and have the courage to accept it?

29 julho, 2015

Ajimu: Kaigan Monogatari - ONA

Ajimu: Kaigan Monogatari (Ajimu: Beach Story) é um ONA* com 4 episódios, que foi lançado entre 2001 e 2002.

*Atenção: Esta opinião contém spoilers*
Já tinha visto o primeiro episódio desta pequena série há uns anos e entretanto achei que, como só tinha 4 episódios, era tempo de a terminar.

Ajimu é o interesse amoroso do protagonista e é ela que dá nome ao anime. Uma rapariga calada, recatada, que adora a música e que é muito amistosa, mas que a início vai pensar que o protagonista e um pervertido. Daí a coisa vai evoluindo e outros jogadores entrarão na trama, com mais ou menos sucesso.
A personagem que mais gostei foi a Suzue, que tem uma personalidade curiosa e está decidida a lutar por quem ama, mas também percebe quando essa pessoa gosta de outra e dá-lhe algum espaço de manobra.
A Ajimu, para dizer a verdade, deixou-me indiferente. É demasiado apática e demasiado boazinha. Já o Hirosuke me irritou um pouco por não ter coragem para dizer á Ajimu o que sentia por ele (tirando no fim).  Agora a personagem que mais me irritou foi, sem dúvida o Otomine. Ou melhor, a maneiro como ele regressou e a sua mentira foi encarada com uma leveza extraordinária! Senão vejamos, o Otomine fez a Ajimu acreditar que ele estava morto, só para que ela não sofresse quando ele partiu para o estrangeiro. Isto parece-vos razoável? E menos razoável ainda é a facilidade com que a Ajimu o perdoa. Enfim ...

A animação é um muito básica (e repetitiva, especialmente nas cenas em que a Ajimu está a tocar e a cantar), como a maioria dos OVAs, mas tratando-se de uma anime romântico pode-se dizer que efectivamente esse facto não interfere muito com o produto final. As sequências decorrem de forma lenta, um pouco como a própria história. Não é um anime para quem procura acção mas se querem uma pequena história com algum romance e drama, pode ser uma boa escolha.
A sequência de fecho do primeiro episódio, em termos musicais está muito boa, mas em termos de imagem, aquilo não passou de fan-service barato (excepto no caso das últimas imagens). Já do segundo episódio para a frente a sequência é super-fofinha!

Noutra nota não gostei do facto de o terceiro episódio acabar em suspense e depois no início do quarto haver um salto temporal que me irritou bastante porque o que realmente aconteceu no fim do terceiro nunca foi mostrado.

Resumindo, Ajimu: Kaigan Monogatari não foi um ONA que me marcasse mas enquanto drama romântico consegue funcionar bem. A história teria de ser mais consistente e lógica para que me ficasse na memória, mas não posso dizer que tenha sido uma completa falta de tempo. Passou-se bem.

* ONA significa Original Net Anime (animes que são publicados na Internet, ao contrário dos OVA que vão directamente para vídeo)

Aqui fica a sinopse (em Inglês):
Seventeen year old Nakaido Hirosuke is just your average high school student. One morning as he arrives at the train station on his way to school, he catches sight of a beautiful girl, Ajimu Yasuna, and immediately falls for her. The two of them get to know each other and become friends, but he can't confess his feelings and she is unsure of hers. As events and other people present obstacles for the potential couple to clear, their relationship begins to develop and their feelings become clear.

22 maio, 2015

All You Need is Kill - divulgação

a Devir acaba de publicar a adptação manga do romance de Hiroshi Sakurazaka, que serviu de base para o filme "Edge of Tomorrow", e que foi desenhada pelo mesmo artista de "Death Note" (Takeshi Obata).

Eu já li o romance há uns tempos, vi o filme há uns meses e estou ansiosa por ler o manga. Os dois que vi/li até agora foram muito bons, embora bastante diferentes, por isso espero ser igualmente surpreendida pela adaptação a banda desenhada.


Podem ver o trailer abaixo:

All You Need Is Kill volume 1
All You Need Is Kill volume 1 - TrailerOs Mimics, uma raça alienígena, lançam uma guerra de extermínio contra a Terra e Keiji Kiriya é apenas um entre inúmeros recrutas inexperientes atirado para o meio da carnificina, onde é abordado pela famosa «Pantera Blindada».Será ela a chave para a salvação?Será que existe uma esperança para a Humanidade?
Posted by Devir Manga Portugal on Sexta-feira, 22 de Maio de 2015

20 abril, 2015

Gantz

"Gantz" é um manga com 383 capítulos divididos por 37 volumes, da autoria de Hiroya Oku.

Gantz é, desde o início, um manga bastante gráfico e com uma boa dose de violência. Já há muitos anos que seguia esta série, até que fiz uma extensa pausa, não por o manga ser mau, mas porque outras leituras se sobrepuseram a esta.
Regressada aos últimos volumes da série, tenho de dizer que estes trouxeram gaandes surpresas mas a sequência de acção está muito boa e a ligação com as personagens cresce ainda mais à medida que os capítulos vão avançando.
A exploração de divindade e religião que é mostrada nos últimos volumes é bastante interessante e o efeito dos rostos de 'Deus' = Wow!

No geral gostei muito do desfecho. A arte está soberba, como já é habitual, e a batalha final foi bem conseguida. o final propriamente dito, ou melhor dizendo: o rescaldo, foi um pouco facilitado demais, mas sinceramente se fosse outro os leitores iam ficar zangados, por isso eu vou deixar passar o cliché em branco Recomendo, para maiores de 16.

Sinopse (via myanimelist):
Thought your life was bad? Sometimes, death is worse. There is no salvation, peace, nor god waiting to receive you into their care. But wait, a god? Maybe you are talking about that big black ball stuck in the room with you. Now you are thrown into a game, fighting green aliens and robot monsters for the chance to survive.
When Kei Kurono is killed, he thus finds himself caught in such a game; a test of his skills, morals and will to survive. His life is not his own, his death spat and trampled upon over and over again. What happens if he does not listen? God knows.
A word of warning: Gantz is not for the faint-hearted, but neither is it as simple as it looks. Gore, rape and violence is rampant, as are portrayals of greed, violence, and all the ugliness that one sees in society today.

Undead

"Undead" é um manga de Kazurou Inoue, contando com várias histórias independentes reunidas num só volume (10 capítulos).

Conhecendo já vários dos trabalhos deste mangaka, eu esperava algo mais.
Undead tem algumas cenas engraçadas e a premissa é interessante, mas as histórias não são muito boas e não me consegui ligar a  nenhuma das personagen em especial, tirando na primeira história.

A arte é a habitual do mangaka, embora eu sentisse que não funcionasse tão bem com este tipo de história mais negra.

No geral achei que foi o trabalho mais fraco deste mangaka e não gostei, tirando a primeira história que foi melhorzita.

Sinopse (via myanimelist):
As the title implies, the omnibus series' theme will be various stories on the undead instead of the quirky romantic comedies that have propelled his career in the past. However, the advertising promises that the series will have comedy in addition to "moving and heartrending" stories.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails